sexta-feira, 15 de julho de 2011

O HOMEM QUE PASSA...




Apressado,cabisbaixo,
Introspectivo,
Atropelado,atropelando.
Atravessando ruas
Sem o faról olhar
Para onde caminhas?

Passos contínuos,rápidos,
Manter-se de pé,
Objetivo de luta.

O que o aguardará,
Na próxima esquina?
Caminhos cruzados,
Ruelas estreitas,
Largas avenidas?
Na mão a semente,
Jogá-las pelo caminho.
A missão!
O Homem que passa!

Do livro Ramalhetes de rosas vermelhas da escritora indaialense Edeltrald Z. Fonseca.

Foto da Internet.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

CVV de Blumenau recebe homenagem na Assembleia Legislativa de Santa Catarina


Plenária da Assembleia Legislativa

Comenda foi concedida pelos 25 anos de um trabalho de respeito e amor ao ser humano

O Centro de Valorização da Vida (CVV) de Blumenau recebeu a Comenda do Legislativo Catarinense, em sessão solene da Assembleia, segunda-feira, por indicação da deputada Ana Paula Lima. A hornaria foi entregue à coordenadora Naura Schreiber. Hoje, o centro tem 33 voluntários e faz uma média de mil atendimentos por mês.

- Escolhi essa entidade em reconhecimento ao amor incondicional à vida e ao extraordinário respeito pelo ser humano num trabalho que já completa 25 anos na cidade - disse Ana Paula.

No Brasil, o CVV surgiu em São Paulo, em 1962, e foi reconhecido de utilidade pública federal em 1973. Atualmente, são 70 postos de atendimento no país, com cerca de 2 mil voluntários, atendendo na maioria dos postos 24h por dia.

O objetivo é oferecer apoio emocional às pessoas que querem e precisam conversar sobre dores e descobertas, dificuldades e alegrias. O atendimento é feito por telefone, pessoalmente, por correspondência ou e-mail. A pessoa que procura o CVV tem o sigilo assegurado. A instituição é mantida com as contribuições dos próprios voluntários e por doações da comunidade.

Publicado originalmente no Diário Catarinense de 23/11/2010,com atualizações.

Imagens do Blog: http://entrecolunascri.blogspot.com/2010/11/assembleia-legislativa-de-santa.html

quarta-feira, 13 de julho de 2011

domingo, 3 de julho de 2011

Almir Sater - Ando devagar

SOLIDÃO...

















A dor vinha do peito
O peso,a coisa,o desejo,de onde vinham?

Levou a mão ao estômago
Não teve dúvidas:sentia fome.

O coração viajou.
Viu a praia,o mar,o povo todo,a areia...
O olharvagou,procurou...ninguém.
Não havia ninguém.Estava só.
Terrívelmente só,ali,no mar de gente.
E areia.

Ligou.
E a voz falou:- CVV bom dia!
- Como vai você?
A fome gemeu:- Para onde vai o mundo,
Para onde foram,
o fogo,o fogão,a lenha,
o mar,o peixe,o amor?

- Serve a faísca,a chama,a fé?
Ele agarrou o fio,falou,falou,falou.

Levou a mão ao estômago: passara a dor,
sumira a fome.
Bem como quando se come
um pãozinho recén saído do forno.

O amor é pão!
O outro é a vida!
CVV- Bom dia!

Alda Nunes

Publicado originalmente no Projeto Pão & Poesia da Fundação Cultural de Blumenau
Imagem da Internet