sexta-feira, 28 de agosto de 2015

28 de Agosto - Dia Nacional do Voluntário




Parabéns a todos os Voluntários do CVV que não medem esforços em estar junto de seus semelhantes em seus momentos mais difíceis.

* * *

Não existe outra via para a solidariedade humana senão a procura e o respeito da dignidade individual.







quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Abertura do Setembro Branco - Mês da Paz...



"A Paz é um bem precioso e precisamos lutar por ela, criando pontes entre as pessoas de bem, de crenças e culturas diferentes para fazer algo em favor de um mundo melhor"

Do folheto do Setembro Branco.

Tendo como local a Câmera de Vereadores de Blumenau teve a abertura do Setembro Branco - Mês da Paz, com a presença de autoridades, entidades, membros da comunidade e escolares.

Apresentação do cantor e compositor Luiz Vicentini que teve uma de suas músicas escolhidas para tema deste projeto.

O CVV de Blumenau é um dos parceiros dessa iniciativa, participe você também.

Projeto:

http://www.camarablu.sc.gov.br/setembro-branco-projeto-visa-instituir-mes-de-promocao-da-paz/


Música tema:

Show pela vida
























sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Curso para novos Voluntários - CVV Blumenau



O CVV de Blumenau terá um curso gratuito para novos voluntários nas seguintes datas: De 17 a 20/08 das 19 h às 21 h 30 m (durante a semana) ou no dia 23/08 (domingo) das 8 h às 19 h.

 Rua Professor Luiz Schwartz, 169 - Velha (entre o terminal de ônibus PROEB e a Vila Germânica). 

(47) 33294111 ou 141 24h.




domingo, 9 de agosto de 2015

Feliz Dia dos Pais...








Pai, eu sei que sempre posso contar com você. Com seu amor, sua sabedoria. E o Dia dos Pais é o momento perfeito para dizer muito obrigado por tudo o que você fez. Eu te amo. Feliz Dia dos Pais!



Pai, obrigado pela minha vida, por me criar, amar, ensinar... 
Obrigado por me fazer feliz !



OBRIGADO MEU PAI...
Ainda que eu tropece e caia durante minhas lutas diárias ,sempre haverá um sopro divino que há de me colocar de pé novamente até que eu possa me tornar um vencedor e assim por me colocar de pé depois cada tombo obrigado senhor....



Pai obrigado por você fazer parte de minha existencia.
pois sem você eu não existiria pois você foi
um dos escolhido por DEUS para me fazer a minha vida feliz...



"Se eu pudesse fazer um pedido a Deus te pediria a imortalidade, pois a eternidade seria pouco pra descrever o quanto TE AMO."

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

CVV de Blumenau - Curso para novos Voluntários





De 17 a 20/08 das 19h às 21h30m (durante a semana) 
ou 23/08 (domingo) das 8h às 19h.

Ligue para 141 ou 3329 - 4111




Livro Ainda Resta Uma Esperança - J. M. Simmel








Texto

AINDA RESTA UMA ESPERANÇA (J. M. Simmel)

“Ainda Resta uma Esperança” é um dos livros cuja leitura mais me deu prazer. Talvez porque eu o tenha lido na juventude e ele faça parte da primeira leva de livros que li. E é bem possível que isso tenha pesado para eu ter gostado tanto dessa obra embora este fuja à regra de livros volumosos de J. M. Simmel. Mas talvez como em nenhuma outra obra ele soube, em cerca de 250 páginas contar uma história fascinante, humanística e ao mesmo tempo com humor, tendo como pano de fundo a Alemanha do saída da 2ª Guerra Mundial. Nesse cenário de desesperança, um marceneiro desempregado (Jakob Steiner) que só vê a solução no alcoolismo e no suicídio; um milionário (Sr. Mamoulian) que perdeu tudo e restando-lhe somente a ruína em que mora; uma mulher (Josephine) que fora muita bela e se prostitui para sustentar a si e a filha Ruth. Estes são os personagens dessa história, onde a vida dessas pessoas se cruzam e elas resolvem morar juntas na casa em ruínas do Sr. Mamouliam. Ali eles encontram motivos para superar as dificuldades do pós-guerra na Alemanha em reconstrução e ao mesmo tempo descobrem a solidariedade, o valor interior de cada um e ao mesmo tempo percebem que a solução para os seus males está em cada um deles. É uma história repleta de sentimentos e muito fascinante. Há passagem em que a narrativa mexe profundamente com leitor, como no gesto do Sr. Mamoulian de se humilhar para todos os antigos amigos a fim arrumar dinheiro para comprar um sapato novo para Ruth e, ao consegui-lo, comprar presentes para todos e não gastar um centavo consigo mesmo. O momento da distribuição dos presentes é de encher os olhos de lágrimas. Aliás, esta como quase todas as obras de J. M. Simmel, tem como objetivo mostrar ao leitor que o ser humano é capaz de superar as piores adversidades e contribuir para um mundo melhor. Há frases marcantes e inesquecíveis, como essas:

“Não se deve confiar demais nas próprias forças, nem na força alheia. É sempre melhor confiar na fraqueza e nos erros de si e dos outros”
“Vivemos num mundo muito triste. Se não conseguimos proporcionar um ao outro o máximo de alegria, não sei o que será de nós!”
“Ninguém perde a esperança enquanto estiver vivo”
“Gosto desse mundo que não merece ser acariciado pelo sol, nem açoitado pelo vento...”
“Detesto revoluções. Elas embrutecem, despertam nossos maus instintos”
“A vida é a coisa mais engraçada desse mundo, com exceção do amor, que é mais engraçado ainda”
“Sempre haverá guerra enquanto os homens tiverem medo. O medo é, no fundo, a verdadeira causa da guerra. O medo, não o heroísmo!”
“Existem momentos na vida – respondeu Steiner – em que uma rosa é mais importante que um pedaço de pão”

É por que isso que “Ainda Resta uma Esperança” não é só mais um livro com uma história interessante, mas é acima de tudo um livro capaz de levar o leitor a ver o mundo e o seu semelhante de uma forma diferente. Embora J. M. Simmel tenha sido esquecido nos seus últimos anos de vida, sua obra é vastíssima e ao longo do século XX foi um dos autores estrangeiros mais lido no Brasil. Suas obras não frequentam mais as prateleiras das livrarias, mas podem ser encontradas facilmente em Sebos e na internet.
Edmar Guedes Corrêa


Esse livro se encontra na biblioteca do CVV/Blumenau


Extraído do BLOG Recanto das Letras

http://www.recantodasletras.com.br/resenhasdelivros/4444081